Você está aqui: Página Inicial / Laboratório

Laboratório

O Laboratório de Química Bio-orgânica – LQBO

O Início …
História do Laboratório de Química Bio-Orgânica
Narrada pelo Prof. Dr. Timothy John Brocksom.

O laboratório de Química Bio-Orgânica (LQBO) teve início no bloco 11 Superior do Instituto de Química (IQ) da USP em São Paulo, dentro do convênio estabelecido entre o CNPq e National Academy of Sciences (NAS) em Washington. Veja Quim. Nova, 2007, 30, 1394-1396, para uma avaliação pessoal deste programa. Desde já, quero agradecer a imensa colaboração científica e pessoal do Prof. Dr. Nicola Petragnani, que me acolheu no seu laboratório em 1972.
Na verdade toda história começa antes, então eu devo lembrar o meu tempo de doutorado na Universidade de Liverpool, quando eu comecei me interessar pela química e a biossíntese de produtos naturais, principalmente alcalóides e terpenos. Este interesse foi reforçado por estágios de pós-doutorado, incluindo o meu primeiro contato direto com reações pericíclicas (um rearranjo sigmatrópico [3,3]). Surgiu assim uma combinação de idéias, e de que em primeiro lugar, a Natureza sabe fazer síntese orgânica como ninguém.
No IQ-USP, os primeiros projetos visavam estudar metodologias para a síntese de α-metileno-γ-butirolactonas acopladas a mono- e sesquiterpenos, devido às comprovadas atividades biológicas anticancerígenas. E iniciamos uma longa caminhada na síntese do sesquiterpeno baquenolida A (veja Quim. Nova, 2008, 31, 937-941), surpreendentemente alvo sintético importante até hoje.

A nossa mudança para a UFSCar se deu no início de 1977, e a descoberta de um Departamento de Química muito diferente; um laboratório de pesquisa com nítidas lembranças de um estábulo, mas com um RMN de 60 MHz Perkin-Elmer e dois vidreiros (Gentil e Ademir). Assim, iniciamos um estudo de reações exeqüíveis em béquer aberto, sem preocupações com a presença de água e oxigênio; as reações de dicloro-ciclopropanação em condições de transferência de fase, foram realizadas com uma doação de um sal quaternário de amônio e uma doação de limoneno como substrato. Um rearranjo eletrocíclico posterior com nitrato de prata (“emprestado”) em condições também de béquer, deu início às nossas pesquisas sobre a expansão de anel de monoterpenos abundantes em cicloeptenonas úteis como intermediários na síntese de sesquiterpenos guaianos.
Com a passagem do tempo, as condições melhoraram muito, inclusive no que tange espectroscopia e cromatografia, indispensáveis para conduzir a execução de reações mais complexas, e com produtos mais complexos para analisar. Até que nos mudamos para um prédio novo (o atual), entretanto, as instalações atuais já estão beirando os trinta e cinco anos com reformas sempre custeadas com recursos da FAPESP. Desta forma, iniciamos as investigações sobre as cicloadições [4+2] entre para-benzoquinonas e dienos relativamente simples, cujos cicloadutos são intermediários relevantes para a síntese total de sesquiterpenos, diterpenos e alcalóides. Ainda nesta fase, iniciamos estudos de metodologias de síntese envolvendo catálise com metais de transição; a saber, cobalto, o sempre presente paládio, rutênio e agora ouro. Incorporamos pesquisas de bioensaios e cálculos computacionais com o intuito de complementar os estudos sintéticos. Chegamos então ao presente momento, e acreditamos que certamente devemos continuar com uma idéia mestre; segue a Natureza que sempre mostrará o caminho ideal de síntese.

Nenhuma história de pesquisa se faz com idéias e trabalho, sem a presença constante dos alunos de IC, mestrado e doutorado, e esta não é diferente: estes participantes diretos estão citados nas nossas publicações. E devo reconhecer o apoio inestimável da FAPESP, CNPq, CAPES, Dragoco e Firmenich., entre outros.

Em maio de 2012, o LQBO completou quarenta anos desde o seu início.

Prof. Dr. Timothy John Brocksom

O Presente …
Narrado pelos Prof. Dr. Kleber T. de Oliveira e Prof. Dr. Marco A. B. Ferreira

Falar sobre o presente de um laboratório tão rico em história como o LQBO não é uma tarefa fácil. Seria ainda injusto falar dos trabalhos em andamento, das atuais pesquisas individuais e comuns aos três docentes do grupo sem antes reconhecer o papel de alguns pesquisadores e professores que se formaram em nosso laboratório e, principalmente, os que foram formadores. Reconhecer à todos seria muito difícil pois, certamente, cometeríamos erros e esquecimentos pelo simples fato de não termos feito parte desta história mais distante. Queremos, no entanto, destacar e reconhecer o trabalho e dedicação da Profa. Dra. Úrsula (aposentada) que durante algumas décadas partilhou o laboratório e pesquisas conjuntas com o Prof Timothy. A ela e tantos outros que deixaram uma parte de si em nosso laboratório expressamos os mais sinceros agradecimentos com o compromisso de dedicação plena de nossa parte para um presente e futuro ainda melhores.

Os grupos recentemente estabelecidos pelos professores Kleber e Marco ainda são bastante jovens mas demonstram desde o surgimento muita coesão e forte espírito científico. Se voce aceita o desafio de fazer ciência com muito entusiasmo e dedicação venha conhecer nossas equipes e trabalhos. Você é muito bem vindo seja para realizar pesquisas no âmbito de nossa graduação/pós-graduação, seja para estabelecer colaborações científicas.